quinta-feira, 17 de março de 2011

sem expressão

Poetas quedados nas ruas,
arrependidos de sua ultima expressão
seu silêncio tendo a beleza da natureza morta

uma indicação de mistério

Suas antigas juventudes voltam à Mãe, a frase

550.000 expressões
nenhuma que os valha
ainda nenhuma chaga saiu dos pulsos

A Mãe não alimenta a ferida

Um comentário:

Tavares disse...

Por aqui tmb a cidade cala.
nenhuma ferida ou saúde
e nenhuma vida nos dá palavra,

mas viva quem escreve!